Olga MALTSEVA / AFP
Olga MALTSEVA / AFP

Após 20 anos no poder, rosto de Putin está em bonés, camisetas e até bonecos

Lojas de souvenirs de cidades russas ostentam produtos com o rosto do presidente russo

Marina Koreneva / AFP, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2020 | 14h04

Após vinte anos no poder, o rosto de Vladimir Putin é onipresente nas vitrines de lojas para turistas, quiosques e livrarias das principais cidades russas em meio às matrioshkas, chocolates e presentes. Ainda que as vendas não sejam colossais, o rosto e o perfil do líder russo se tornaram imprescindíveis nas vendas de produtos oferecidos a turistas locais e estrangeiros. Especialmente em São Peterbusrgo, a cidade natal do presidente. 

Pintor e empresário, Alexei Serguienko não é uma exceção: em suas lojas de souvenir, situadas ao redor da catedral da cidade, se veem alinhados vários bonecos com o rosto de Putin, camisetas, bonés, copos, taças e outras lembranças. 

"O volume das vendas de lembrancinhas de Putin representa somente entre 3 e 4% do total, mas é estável", diz ele, um admirador do homem forte da Rússia, que lhe dedicou uma exposição no ano de 2012. 

Há também um Putin 'pop art', carregando um menino e atrás de um sol radiante e outro parando um meteoro vestido de super-herói de Hollywood. São imagens que brincam com a imagem do salvador da nação promovida pelas autoridades russas. 

'Já estamos acostumados'

Há até tabletes de chocolates envoltos com as obras de Alexei ao custo de 150 rublos (R$ 10) em lojas de São Petersburgo. Em Dom Knigi, a maior livraria da cidade, as imagens de Putin são inevitáveis. Há desde ímãs e chaveiros baratos a taças que custam quase 600 rublos (R$ 40 reais). "São parte das recordações e já nos acostumamos", diz a vendedora Natália. 

Diretor da sociedade Che Guevara, especializada na vendta online de recordações com significado político, Alexei Ivanov afirma que Putin está cada vez mais identificado com os russos. "O mais importante é sua popularidade, que o mundo reconhece, e a relação dos russos com ele". 

Apesar do recente declínio na popularidade causado pela estagnação econômica e por uma reforma da aposentadoria, para a maioria dos russos Putin ainda é popular depois de 20 anos após sua chegada ao poder, que tirou o país do caos pós-soviético, embora às custas de liberdades públicas e políticas.

Vladimir Putin é considerado como a pessoa que deu poder à Rússia novamente no cenário internacional, especialmente com a anexação da Crimeia ucraniana em 2014. Logo após o caso, Alexandre Savenkov, corretor de imóveis de São Petersburgo, comprou uma camiseta preta com o rosto do presidente. "Uso de vez em quando, principalmente quando estou de férias no exterior", diz esse divertido senhor. "Putin é um líder forte e o respeito por isso", acrescenta. 

'O Grande Putin'

Para Andrei Stepanov, um engenheiro de 60 anos de São Petersburgo, isso é um pouco demais. "Tenho a impressão de viver na Coreia do Norte, com o 'Grande Putin' em todos os lugares: na televisão, nos jornais, suas fotos estão em todos os estabelecimentos oficiais e até nas lojas de souvenirs", critica. 

O Kremlin também afirma que há excessos. O porta-voz Dmitri Peskov considera inapropriada a venda no aeroporto de São Petersburgo de imitações de ícones ortodoxos com imagens de Vladimir Putin. "Não aprovamos isso. O presidente mesmo não aprova", declarou após questionamento da agência de notícias AFP.  

O governo russo elaborou site com fotos e vídeos das recordações dos últimos 20 anos de Putin no poder. Em companhia de chefes de Estado, pescando, com um bebê tigre, uma arma na mão, no volante de um carro de corrida ou comandando unidades militares. 

Tudo o que sabemos sobre:
Vladimir Putin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.