Após 3 exames, mulher insiste em paternidade de Lugo

A Justiça do Paraguai informou nesta quinta-feira que um terceiro exame de DNA do presidente Fernando Lugo não confirmou a paternidade de um menino de quase três anos. A mãe, Damiana Morán, declarou que "não se dá por vencida" e ainda afirma que o presidente é o pai do seu filho. A juíza da Vara da Infância Ana Ovelar reuniu Damiana e o advogado de Lugo, Marcos Fariña, para discutir o exame, cujo resultado foi igual aos dois anteriores.

AE-AP, Agência Estado

23 de setembro de 2010 | 13h33

Após o encontro, Fariña disse, em entrevista à imprensa, que os três exames tiveram resultado coincidente, negativo. Portanto, o pedido de reconhecimento de paternidade contra o chefe de Estado vai para o arquivo. "Posteriormente vamos avaliar a possibilidade de iniciar um processo por calúnia e difamação contra Morán," disse o advogado.

No entanto, a mulher insiste que Lugo é o pai de seu filho, Juan Pablo, que tem dois anos e seis meses. "Estou frustrada porque sofri uma adversidade judicial e suspeito que algo estranho tenha ocorrido durante o tempo de custódia da mostra de sangue antes de ser analisada pelos laboratórios", disse Damiana. "Mas não me dou por vencida e afirmo que o presidente é o pai do meu filho. Eu direi a ele a verdade. Só me resta confiar na Justiça", afirmou. Damiana admitiu que este caso foi encerrado, mas cogita abrir "outro caminho para tentar o reconhecimento".

Hoje, Lugo fez poucos despachos oficiais no governo. Ele vai viajar para o Brasil, onde será submetido a novos exames em São Paulo para o tratamento de um câncer linfático. Na segunda-feira ele reassume suas funções.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.