Após 30 anos, Mubarak transfere poder para militares

Após 18 dias de protestos contra o governo, o presidente do Egito, Hosni Mubarak, renunciou ao cargo após 30 anos no poder e transferiu o comando do país para o Conselho Supremo das Forças Armadas, informou o vice-presidente, Omar Suleiman, durante uma transmissão na rede de televisão estatal.

GUSTAVO NICOLETTA, Agência Estado

11 de fevereiro de 2011 | 14h33

"Por causa das atuais circunstâncias no país o presidente Hosni Mubarak decidiu renunciar, e o alto comando do exército está assumindo o controle do país", disse Suleiman. A multidão de manifestantes reunida na Praça Tahrir, no centro do Cairo, vibrou com a notícia.

Ontem à noite, Mubarak afirmou num discurso que estava delegando poderes a Suleiman, mas não renunciou ao cargo, enfurecendo os manifestantes, que continuaram com os protestos mesmo em meio a pedidos das autoridades para que todos voltassem para casa e ao trabalho. Mubarak estava no poder desde 1981.

Os protestos contra o governo egípcio começaram em 25 de janeiro e deixaram pelo menos 300 mortos e muitos outros detidos e feridos. As informações da Dow Jones e da Al-Jazira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.