Após 4 dias, rebeldes libertam capacetes-azuis

Chegaram ontem à Jordânia 21 soldados filipinos da missão de paz das Nações Unidas que haviam sido sequestrados por rebeldes sírios, na região da fronteira com Israel. Os soldados estão bem, segundo informações iniciais.

O Estado de S.Paulo

10 de março de 2013 | 02h06

A libertação foi confirmada por Mokhtar Lamani, representante do governo de Damasco no processo de mediação da crise na Síria patrocinado pela Liga Árabe e pelas Nações Unidas. Os capacetes-azuis ficaram quatro dias em poder de uma facção das forças que lutam contra o regime de Bashar Assad. A tropa da ONU monitora a fronteira entre a Síria e Israel, na região das Colinas do Golan, ocupadas pelos israelenses em 1967.

Ainda não estão claras as motivações dos rebeldes que sequestraram os filipinos - ação condenada pela principal entidade da oposição, a Coalizão Nacional Síria (CNS). Os combatentes que capturaram os soldados disseram que, na verdade, estavam "protegendo-os" das forças do regime Assad. Em seguida, porém, afirmaram que apenas libertariam os militares da ONU se as tropas de Damasco deixassem a região. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.