Após 44 anos, assassino de Malcolm X é solto

EUA

, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2010 | 00h00

O assassino do ativista dos direitos dos negros nos EUA Malcolm X ganhou a liberdade condicional ontem, depois de passar 44 anos na prisão. Thomas Hagan, de 69 anos, confessou ter matado Malcolm X em 1965. A libertação foi confirmada por Linda Foglia, porta-voz do departamento de serviços penitenciários de Nova York. Hagan ainda deverá passar duas noites por semana em uma prisão comum, em Manhattan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.