Departamento de Polícia de Melbourne/Flórida
Departamento de Polícia de Melbourne/Flórida

Após tempestade, pacotes de cocaína aparecem nas areias da Flórida 

Segundo a polícia, a droga foi levada pelas fortes ondas causadas pelo Dorian que atingiram o litoral americano nos últimos dias

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2019 | 20h26

MIAMI - Os ventos de 300 km/h do Dorian trouxeram mais que destruição. Logo após a tempestade, que passou pelo Caribe como um furacão de categoria 5, a polícia da Flórida encontrou uma bolsa com 15 tijolos de cocaína em Cocoa Beach – cada peça pesa cerca de um quilo. 

Cerca de 30 quilômetros ao sul, no Parque Paradise Beach, um frequentador da praia também teve uma surpresa ao encontrar outro tijolo de cocaína enterrado na areia. Segundo a polícia, a droga foi levada pelas fortes ondas causadas pelo Dorian que atingiram o litoral americano nos últimos dias. 

As autoridades da Flórida afirmaram que os pacotes de cocaína estavam embalados de forma similar aos usados por traficantes de drogas e anunciaram que uma investigação foi aberta para determinar a origem do material encontrado.

Apreensões de drogas na região costeira da Flórida são comuns, já que muitos traficantes usam pequenos barcos para trazer a cocaína de países da América do Sul e Central.

“Existe a possibilidade de que mais pacotes apareçam. Especialmente com essas condições. Podem vir de qualquer lugar”, afirmou Manny Hernandez, porta-voz do Departamento de Polícia de Cocoa Beach. “Estamos dizendo às pessoas para serem cautelosas, para evitar problemas de saúde.”

Hernandez explicou que a descoberta de itens e bugigangas após a temporada de furacões ou grandes tempestades é comum na Flórida. No ano passado, segundo ele, latas de café apareceram nas praias do Estado após uma tempestade. / AP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.