Após aceitar termos do cessar-fogo, Israel amplia ataques

A aviação israelense atacou neste sábado o porto de Saida, no sul do Líbano, e as estradas da meseta de Akkar, no norte do país, que levam à Síria. Tropas estariam a caminho do Rio Litani, a cerca de 30 km da fronteira com Israel. Novos ataques aéreos neste sábado contra a cidade de Tiro deixaram pelo menos 15 civis libaneses mortos ou feridos. Foram os primeiros bombardeios após o Conselho de Segurança aprovar a resolução 1701, que pede o fim das hostilidades entre Israel e o grupo libanês Hezbollah. A resolução também autoriza o envio de 15 mil soldados de uma força de paz das Nações Unidas. Israel e Líbano concordaram com os termos do cessar-fogo estabelecidos na resolução elaborada pelos EUA e a França. Os caças-bombardeiros de Israel realizaram quatro incursões contra Saida, 43 km ao sul de Beirute, disse a polícia, sem informar sobre vítimas. Os aviões também atacaram a estrada costeira que leva ao posto de fronteira de Abdé, entre Líbano e Síria, dez quilômetros ao norte de Trípoli, principal cidade do norte libanês.Mísseis da aviação israelense também foram lançados contra uma estrada secundária que liga a localidade de Queissat à Síria. Outros dois ataques atingiram estradas mais a leste em Akkar, utilizadas por contrabandistas que operam entre Líbano e Síria.Mas apesar do avanço no campo diplomático, a situação na área de conflito se agravou com a decisão do primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, de dar o sinal verde para o Exército deslanchar uma grande ofensiva contra o sul do Líbano, aprovada na quarta-feira.A campanha militar de Israel no Líbano deve prosseguir pelo menos até domingo, quando a resolução será submetida à aprovação do gabinete de governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.