Após acordo, Ucrânia diz que operação 'antiterrorista' continua

Segundo porta-voz do Serviço de Segurança, unidade militar vai agir até 'terroristas' deixarem o país

O Estado de S. Paulo,

18 de abril de 2014 | 10h24

KIEV - A unidade militar comandada pela Ucrânia para lidar com os separatistas pró-Rússia no leste do país vai continuar atuando, apesar do acordo de quatro vias alcançado em Genebra, disseram autoridades de segurança nesta sexta-feira, 18.

"A operação antiterrorista ainda está em curso e quanto tempo ela vai continuar depende de quanto tempo os terroristas vão permanecer em nosso país", afirmou Marina Ostapenko, porta-voz do Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU), a jornalistas.

A Ucrânia anunciou a operação na semana passada com o objetivo de expulsar os insurgentes pró-Rússia que tomaram edifícios do Estado, entre eles delegacias de polícia na região de Donbass.

O acordo acertado por Estados Unidos, Rússia, Ucrânia e União Europeia na quinta-feira 17, exige o desarme de grupos armados ilegais, a desocupação de edifícios públicos, ruas e praças em cidades do leste ucraniano e a anistia aos insurgentes pró-Rússia que participaram do levante contra o governo em Kiev, exceto no caso de pessoas culpadas por crimes graves.

Os diplomatas também decidiram dar um papel de liderança para supervisionar o acordo a monitores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE)./ REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.