Após 'ajuste', EUA querem míssil na Europa só em 2015

Os Estados Unidos ainda planejam instalar mísseis na Polônia e na República Checa, mas apenas em 2015, disse hoje o secretário de Defesa, Robert Gates. O país norte-americano anunciou hoje um "importante ajuste" no controverso projeto da administração do então presidente George W. Bush para a construção de um escudo antimísseis no Leste Europeu.

AE, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 12h45

Apesar do ''ajuste'', Obama ressaltou que o programa de mísseis balísticos do Irã continua a representar uma ameaça. "Nosso foco claro e consistente tem sido a ameaça representada pelo programa de mísseis balísticos do Irã, que continua a ser o centro e a base do programa que estamos anunciando hoje". Destacando os avanços na tecnologia de defesa de mísseis "particularmente no que diz respeito aos interceptadores em terra e no mar e aos sensores que dão apoio a eles", o presidente dos EUA disse que a nova abordagem vai usar tecnologias comprovadas e economicamente viáveis.

A Rússia se opõe à iniciativa antimísseis norte-americana, afirmando que o projeto é voltado na verdade contra Moscou. Washington nega, argumentando que se trata apenas de uma iniciativa para conter a ameaça de Teerã. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAescudo antimíssil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.