Após ataque, ONU retira parte da equipe do Afeganistão

O jornal britânico "The Times" informou ontem que a Organização das Nações Unidas (ONU) começou a retirar de Cabul, capital do Afeganistão, todos os seus funcionários considerados não-essenciais. A retirada ocorre um dia após um atentado do Taleban ter matado cinco membros da entidade.

AE-AP, Agencia Estado

30 de outubro de 2009 | 07h47

Durante uma reunião de emergência para rever a estratégia de segurança no país, representantes da ONU discutiram até mesmo uma retirada completa do país, como ocorreu no Iraque, em 2003, após o atentado que matou 22 pessoas em seu escritório de Bagdá.

Após o atentado, Kai Eide, chefe da entidade no Afeganistão, fez um apelo para que a ação não evitasse que a organização fizesse seu trabalho no país, que inclui uma ajuda no segundo turno da eleição presidencial, marcado para o dia 7. Muitos dos mil funcionários estrangeiros da ONU no Afeganistão foram instruídos a deixar o país por três semanas. Os que permanecerão em Cabul receberam ordens para ficarem em casa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoONUretiradaataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.