Após ataque, Paquistão convoca embaixador dos EUA

O governo do Paquistão convocou hoje o embaixador dos Estados Unidos no país e apresentou um forte protesto em relação ao ataque com avião não-tripulado a uma região tribal que matou 35 pessoas, informou o Ministério de Relações Exteriores.

AE, Agência Estado

18 de março de 2011 | 17h48

O embaixador norte-americano Cameron Munter ouviu que "tais ataques não são apenas inaceitáveis, mas também constituem uma flagrante violação às normas e leis humanitárias", disse o ministério em comunicado. Líderes civis e militares paquistaneses já expressaram suas condenações ao ataque de ontem contra um local onde ocorria uma reunião na região tribal do Waziristão do Norte, e exigiram um pedido de desculpas e explicações dos EUA.

"É evidente que os fundamentos de nossas relações precisam ser revistos. O Paquistão não deve ser desconsiderado ou tratado como um Estado cliente", diz o comunicado do Ministério de Relações Exteriores. "Depende da Casa Branca e do Departamento de Estado impedir aqueles que têm tentado mudar a direção do relacionamento entre Paquistão e Estados Unidos para fora dos trilhos".

O embaixador Munter disse que compreende claramente que esta não é uma mera formalidade e que ele vai a Washington para entregar a mensagem paquistanesa aos mais altos níveis do governo norte-americano, disse o ministério. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoataquemortesEUAembaixador

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.