Após ataque, Zapatero se diz determinado a buscar paz

O presidente do governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, disse nesta quinta-feira que sua "energia" e sua "determinação" para alcançar a paz "são ainda muito maiores" após o atentado cometido pela ETA no sábado, no aeroporto de Madri, no qual um equatoriano morreu e outro continua desaparecido.Após visitar o estacionamento do terminal de Barajas onde a ETA colocou uma caminhonete cheia de explosivos, Rodríguez Zapatero confiou em contar com o consenso de todos os cidadãos e de todas as forças políticas para obter a paz."Os espanhóis sabem que é uma batalha dura, mas temos a firme determinação, através das instituições do Estado de Direito, de pôr fim à violência", ressaltou o chefe do Executivo.Zapatero assegurou que a Justiça se encarregará dos autores do atentado, porque "essas são as regras do Estado de Direito e a Justiça é o caminho rumo à paz".Nesse contexto, advertiu à ETA, que em 22 de março declarou um cessar-fogo permanente, de que "nada conseguirá com estes atos, porque a democracia não se intimida, e menos ainda o governo".Rodríguez Zapatero se mostrou convencido de que "nada nem ninguém deterá o direito dos cidadãos espanhóis a viver sem bombas e sem violência" e disse ter "o firme convencimento" de que conseguirá isso. "Para este objetivo, colocarei o melhor de mim", ressaltou.O ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalaba, afirmou na terça-feira que o processo de paz empreendido com a ETA está "rompido, liquidado e acabado" após este atentado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.