REUTERS/Denis Sinyakov
REUTERS/Denis Sinyakov

Após atentado em aeroporto, 43 seguem em estado grave em Moscou

Entre os feridos, hospitalizados em diversos centros médicos, há oito estrangeiros, informou o governo russo

Efe,

25 de janeiro de 2011 | 08h25

MOSCOU - O número de hospitalizados após o atentado de segunda-feira no aeroporto de Domodedovo, em Moscou, que deixou 35 mortos, chegou nesta terça-feira a 110, dos quais 43 estão em estado grave, informou o Ministério da Saúde da Rússia.

 

Veja também:

link Ataque abala plano eleitoral de Putin

link Ataque mata 35 em aeroporto de Moscou

link Medvedev promete perseguir e punir reponsáveis

link Aeroportos reforçam medidas de segurança

link Líderes demonstram apoio à Rússia

mais imagens Veja imagens do atentado

 

"Das pessoas hospitalizadas, quatro estão em estado muito grave, 39 encontram-se em estado grave, 56 de média consideração e 11 evoluem satisfatoriamente", detalha o comunicado oficial, citado pela agência Interfax.

 

Entre os feridos, hospitalizados em diversos centros médicos, há oito estrangeiros, indicou o Departamento de Saúde da capital russa, informou o canal Rossía-24.

 

Segundo o Ministério de Situações de Emergência, o número de feridos, entre hospitalizados e pessoas que receberam atendimento ambulatório, é de 180.

 

Um porta-voz do mesmo ministério indicou que até as 7h da hora local (2h de Brasília), das 35 vítimas fatais nove ainda não haviam sido identificadas.

 

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, declarou que a direção do aeroporto de Domodedovo deve responder pelas infrações em matéria de segurança.

 

"O que ocorreu demonstra que foram infringidas de forma evidente as normas de segurança. Não é tão simples introduzir (em um aeroporto) tal quantidade de explosivos", disse.

 

Em entrevista ao diário Védomosti, cujas algumas partes foram divulgadas pelo canal "Rossía 1", Medvedev declarou que "é um atentado, é uma desgraça, é uma tragédia".

 

O porta-voz oficial do Comitê Nacional Antiterrorista, Nikolai Sintsov, declarou que "as medidas de segurança em Domodedovo eram insuficientes, caso contrário não teria ocorrido nada".

 

O atentado foi perpetrado em uma zona comum de livre acesso no terminal de desembarque internacional do aeroporto.

 

A explosão teve uma potência equivalente de dois a dez quilos de TNT e aconteceu em meio a uma grande aglomeração de pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaatentadoaeroporto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.