Após atentados, combates em Cabul avançam pela noite

Talebã lança ataques contra embaixada americana e QG da Otan em Cabul.

BBC Brasil, BBC

13 Setembro 2011 | 13h51

Forças afegãs e internacionais entraram pela noite desta terça-feira (horário local) a combater insurgentes no que parece ser um ataque prolongado contra a embaixada americana, o quartel-general da Otan e prédios da polícia no centro da capital do país, Cabul.

Os ataques começaram pela manhã e, após horas de combates, dois insurgentes ainda estariam combatendo as forças de segurança refugiados em um prédio em construção com vista para a área onde estão as embaixadas em Cabul.

A polícia diz que seis pessoas foram mortas e 16 feridas.

O Talebã assumiu a autoria pelos ataques, que ocorrem semanas depois do atentado no escritório do Conselho Britânico em 19 de agosto, quando homens-bomba mataram 12 pessoas.

O grupo já havia assumido a responsabilidade por esse ataque, dizendo que ele marcava o aniversário da independência do país em relação à Grã-Bretanha em 1919.

Segundo o correspondente da BBC em Cabul, Quentin Sommerville, o episódio de violência desta terça-feira parece ser um ataque complexo envolvendo uma série de homens-bomba.

Ele confirmou que alguns insurgentes se refugiaram em um edifício em construção a apenas 300 metros da embaixada, de onde eles poderiam coordenar as ações, e que há pelo menos um policial morto.

Sommerville também diz ter visto lança-granadas sendo disparados no local.

Relatos iniciais sugerem que pelo menos quatro homens-bomba estiveram envolvidos no ataque, com um deles supostamente detonando um colete com explosivos em um táxi.

Além do quartel-general da Otan, da embaixada americana e de outras embaixadas, o centro da cidade também abriga prédios de diversos ministérios e o palácio presidencial do Afeganistão.

Transição

Um porta-voz do Taleban confirmou a autoria do ataque logo depois das explosões: "Hoje um grande ataque suicida está em curso em Cabul, no local onde há o prédio da inteligência internacional".

O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, condenou a violência, dizendo que era uma maneira de testar o processo de transição da segurança do país (que a Otan entregará para as forças nacionais), mas alertou que essa tentativa dos insurgentes vai fracassar.

"Temos confiança na capacidade das autoridades afegãs em lidar com essa situação. A transição está em curso e vai continuar", disse.

A embaixada americana confirmou o atauqe e disse que não houve feridos entre seus funcionários.

O número de feridos ainda não foi confirmado pelas autoridades afegãs. Há relatos de que ao menos quatro pessoas estão internadas em estado grave em dois hospitais de Cabul.

Explosões

Uma testemunha, Mohammad Zada, disse que estava dirigindo próximo à embaixada dos EUA quando o ataque começou. Ele disse ter ouvido cinco fortes explosões.

"Você nunca está preparado para se ver em meio a vítimas, destroços, vidros quebrados espalhados pela rua", disse Zada.

Este vem sendo o ano mais violento no Afeganistão desde a invasão americana, em 2001.

A situação se agravou em julho, quando a Otan começou um longo processo para transferir o poder de volta às forças afegãs.

A maior parte das tropas internacionais devem para deixar o país em 2015, quando se espera que as forças afegãs estejam prontas para assumir o controle.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.