Evan Vucci/AP
Evan Vucci/AP

Após chamá-lo de pedófilo, Musk pede desculpas a especialista que ajudou em resgate na Tailândia

Milionário atacou o espeleólogo Vernon Unsworth depois que este qualificou como uma manobra publicitária a oferta do empreendedor de enviar um submarino para retirar o grupo da caverna

O Estado de S.Paulo

18 Julho 2018 | 06h48

WASHINGTON - O proprietário da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, pediu desculpas nesta quarta-feira, 18, a um espeleólogo britânico que participou do resgate dos 12 garotos tailandeses e seu treinador de futebol por tê-lo chamado de pedófilo.

+ Especialista que ajudou em resgate na Tailândia ameaça processar Elon Musk por acusação de pedofilia

+ Tesla aposta na reinvenção de sua linha de montagem

O milionário sul-africano atacou Vernon Unsworth depois que este qualificou como uma manobra publicitária a oferta de Musk de enviar um submarino miniatura para retirar o grupo de uma caverna parcialmente inundada na Tailândia.

+ Invenção de Elon Musk deve chegar tarde para meninos na Tailândia

+ Elon Musk envia engenheiros de suas empresas para ajudar no resgate de grupo preso em caverna

As ações de Musk caíram na Bolsa de Valores após o ataque a Unsworth. Além disso, o empreendedor recebeu muitas críticas nas redes sociais, onde alguns usuários chegaram a colocar em dúvida a saúde mental e a capacidade do milionário de dirigir uma empresa.

“Suas ações contra mim não justificam minhas ações contra ele, e por isso peço desculpas ao senhor Unsworth e às companhias que represento”, disse Musk no Twitter. “A culpa é minha e só minha.”

Os jovens e seu treinador foram resgatados na semana passada da caverna, na qual ficaram presos desde o dia 23 de junho, graças a uma operação de salvamento liderada por uma equipe internacional.

Vernon Unsworth, que passa parte do ano na Tailândia e ajudou os socorristas com informações sobre a topografia do local, afirmou que pensou em processar o empresário. Para o britânico, o protótipo de Musk não tinha “absolutamente nenhuma possibilidade de funcionar”. Pode “colocar seu submarino onde doer mais”, disse ele.

Musk, que tem 22 milhões de seguidores no Twitter, se referiu a Unsworth em uma série de tuítes, sem citá-lo. Chamou-o de "pedo", diminutivo em inglês para pedófilo. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Tailândia [Ásia] caverna Elon Musk

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.