EFE/Abir Sultan
EFE/Abir Sultan

Após confrontos, polícia de Israel volta a restringir acesso à Esplanada das Mesquitas

Homens com menos de 50 anos estão novamente barrados e não podem entrar no local; oficiais justificam medida como uma forma de ‘prevenir e responder a qualquer ato de violência’

O Estado de S.Paulo

28 Julho 2017 | 08h34

JERUSALÉM - A polícia israelense proibiu a entrada de homens com menos de 50 anos para as orações desta sexta-feira, 28, na Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, após a escalada de violência dos últimos dias.

"Foi realizada uma avaliação de segurança e há indícios de que hoje haverá distúrbios e manifestações", destacou a polícia em um comunicado. "Apenas homens com mais de 50 anos e mulheres, de qualquer idade, serão autorizados", e certas ruas em torno da Cidade Velha terão acesso limitado.

"Todas as medidas de segurança necessárias foram adotadas para prevenir e responder a qualquer ato de violência", destacou a polícia.

Durante a tarde de quinta-feira, as forças de segurança israelenses enfrentaram manifestantes palestinos na Esplanada. Milhares deles voltaram ao local após um boicote de duas semanas em razão das estritas medidas de segurança que haviam sido adotadas pelo governo de Israel.

No entanto, policiais israelenses e palestinos entraram em choque e pelo menos 113 pessoas ficaram feridas. Os confrontos começaram pouco depois que os fiéis entraram no complexo, onde fica a Mesquita de Al-Aqsa, após as autoridades israelenses retirarem dispositivos de segurança, como câmeras e detectores de metal, atendendo às exigências das autoridades muçulmanas que administram o local.

Eles haviam sido instalados por Israel no acesso à Esplanada das Mesquitas após o ataque do dia 14, quando três árabes-israelenses saíram do complexo de Al-Aqsa armados e mataram dois policiais israelenses. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.