Brendan Smialowski/AFP
Brendan Smialowski/AFP

May diz que buscará 'acordo ambicioso' com EUA após Brexit; Trump nega críticas à premiê

Presidente americano afirmou que para seu governo 'estará bem' o que o Executivo britânico decidir fazer com relação à saída do Reino Unido da União Europeia, e garantiu que 'o importante' é que todos os países 'possam comercializar'

O Estado de S.Paulo

13 Julho 2018 | 09h19
Atualizado 13 Julho 2018 | 15h50

LONDRES - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse nesta sexta-feira, 13, que ela e o presidente dos EUA, Donald Trump, buscarão um "acordo ambicioso" de livre comércio após o Brexit, em uma entrevista coletiva realizada em Chequers, a residência campestre da premiê no subúrbio de Londres, depois de uma reunião com o republicano.

+ ‘Bebê Trump’ sobrevoa Londres durante visita de presidente americano

+ The Economist: As idas e vindas dos Estados Unidos

"Concordamos que quando o Reino Unido deixar a União Europeia (UE), buscaremos um ambicioso acordo de livre comércio", disse May. "O pacto que estabelecemos na semana passada fornece a plataforma para Donald e eu buscarmos um ambicioso contrato que funciona para ambos os países em nossas economias."

+ Trump avalia que plano de May para Brexit pode 'matar' acordo com EUA

+ Trump critica plano de May para Brexit e chega a Londres sob protestos

Em seguida, Trump afirmou que para seu governo "estará bem" o que o Executivo britânico decidir fazer com relação ao Brexit, após ter criticado publicamente a estratégia de May em uma entrevista ao jornal The Sun. "Faça o que fizer, tudo bem", ressaltou. Ele garantiu que "o importante" é que todos os países "possam comercializar" depois da saída do Reino Unido da UE, prevista para o dia 29 de março de 2019. "Quero agradecer à primeira-ministra May por buscar um acordo justo e recíproco com os EUA."

Sobre as críticas feitas a May quanto ao Brexit, Trump negou as informações e voltou a falar em fake news. "Não critiquei a premiê. Tenho muito respeito por ela", disse o americano. "Infelizmente, foi feita uma história, o que normalmente não tem problema, mas não mencionou o que eu falei sobre a premiê."

Antes da entrevista coletiva, Trump afirmou que o relacionamento entre Washington e Londres é “muito, muito forte”. "A relação é muito, muito sólida. Temos uma relação muito boa", disse o republicano ao lado de May, no início de uma reunião em Chequers, a residência campestre da premiê no subúrbio de Londres. 

Mais tarde, Trump seguiu com a mulher, Melania, para o Castelo de Windsor, onde o casal tomou chá com a rainha Elizabeth II. / AFP, REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.