Após derrota eleitoral, premier japonês reformula seu gabinete

As mudanças são uma tentativa de melhorar popularidade de Abe, que está próxima dos 20%

Associated Press e Agência Estado,

27 de agosto de 2007 | 04h18

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, escolheu políticos experientes e conservadores para os ministérios do Exterior e da Defesa, anunciou a mídia japonesa nesta segunda-feira, 27. O objetivo é reconquistar o apoio popular após a derrota eleitoral na Câmara Alta do Parlamento em julho. Nobutaka Machimura, de 62 anos, voltará ao Ministério do Exterior, posto que ocupou durante o governo de Junichiro Koisumi, predecessor de Abe. Para a pasta da Defesa foi chamado Masahiko Komura, 65 anos. Ele já atuou como chanceler na década de 90 e foi ministro da Justiça em 2002. Segundo a imprensa japonesa, Fukushiro Nukaga, 63, um ex-ministro da Defesa, foi nomeado para as Finanças, no lugar de Koji Omi. O ministro do Comércio, Akira Amari, permanecerá no cargo. Já o ministro do Exterior, Taro Aso, deixou o cargo para ocupar a secretaria-geral do Partido Liberal Democrático. As mudanças são uma tentativa de melhorar a popularidade de Abe, que está próxima dos 20%. Vários dos componentes de seu gabinete já se envolveram em escândalos. Três ministros foram forçados a deixar o cargo e um cometeu suicídio.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoAbereformulação do gabinete

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.