Michel Euler/AP
Michel Euler/AP

Após derrota para Macron, Le Pen mira eleições parlamentares na França

Candidata da ultradireita não confirmou se vai concorrer; Partido anunciou mudança de nome e repaginação para buscar mais apoiadores

O Estado de S.Paulo

08 Maio 2017 | 05h58

PARIS – As eleições parlamentares marcadas para o próximo mês de junho, na França, são a nova meta da candidata derrotada no segundo turno do pleito presidencial, Marine Le Pen. A líder de extrema direita recebeu número histórico de votos para o partido, apesar da vitória de Emmanuel Macron. 

O resultado fortalece a Frente Nacional, que anunciou que vai mudar de nome para ganhar mais apoiadores na França. O diretor de campanha de Le Pen, David Rachline, também afirmou que a candidata vai liderar a oposição a Macron.

O novo desafio de Le Pen é formar uma nova força política e destacar também outros membros do partido na disputa pelas vagas parlamentares. Um novo nome, ainda não divulgado, também tenta afastar o partido dos conceitos racistas e antissemitas que afastaram potenciais apoiadores. O pai de Le Pen, Jean-Marie, fundador da Frente Nacional, foi expulso devido à repaginação da imagem da filha.

Em 2014, o partido ganhou em onze cidades nas eleições municipais e teve a melhor performance no Parlamento Europeu, onde Le Pen co-preside um grupo de ultradireita. Agora, ela quer ir além para conquistar um espectro maior de eleitores.

“Estarei à frente deste combate”, disse a candidata derrotada, afirmando que foi criada uma divisão entre “globalistas e patriotas” no país. Ela ainda disse que buscará novas alianças para as eleições parlamentares, mas não confirmou se vai concorrer. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.