Após dia violento, caminhão explode e mata dez no Iraque

Pelo menos dez pessoas morreram e outras 42 ficaram feridas após a explosão de um caminhão em frente a uma delegacia de Kirkuk, ao norte de Bagdá. De acordo com fontes policiais, o atentado danificou muitos prédios do local e deixou dezenas de desaparecidos.O diretor da polícia de Kirkuk, Borhan Taha, disse que o veículo utilizado no ataque transportava milho e estacionou em frente à delegacia por volta das 9 horas (4 horas em Brasília). O motorista teria saído do caminhão e entrado em um carro, que o esperava. Taha acrescentou que, devido ao tamanho da explosão, o número de vítimas pode aumentar.Dois soldados britânicos também ficaram feridos nesta quarta-feira, quando o veículo em que estavam foi atacado, em uma estrada no sul do país. O ataque ocorreu durante uma patrulha na região de Al Ashshar, na província de Basra. Ao todo, 142 pessoas morreram ou foram encontradas mortas na terça-feira, no Iraque. Em uma universidade de Bagdá, militantes mataram 70 pessoas. Entre elas, havia muitos jovens estudantes. Durante esta quarta-feira, a instituição de ensino permaneceu fechada e alguns manifestantes protestaram contra a violência. Também na terça-feira, a Organização das Nações Unidas (ONU) informou que mais de 34 mil civis foram vítimas da violência no Iraque somente no ano passado.Rebeldes presosO Exército norte-americano anunciou nesta quarta-feira a detenção de 28 supostos rebeldes no Iraque, em várias operações deflagradas em Mossul e Yusufiya, no norte do país, e Ramadi, no oeste. Fontes acreditam que, entre os detidos, está um suposto líder da Al-Qaeda, especializado na fabricação de explosivos.De acordo com um comunicado do Exército norte-americano, os três lugares são considerados redutos de rebeldes sunitas, supostamente envolvidos em ataques contra as forças estrangeiras no Iraque.Na madrugada desta quarta-feira, o Exército dos EUA informou também que, no domingo, outros 32 suspeitos haviam sido presos durante uma operação em um povoado próximo a Bagdá.Militantes mortosO governo iraquiano informou nesta quarta-feira que 15 supostos militantes da Al-Qaeda foram mortos em Ramadi, na terça-feira, quando tentavam atacar uma delegacia policial.De acordo com o comunicado oficial, os confrontos duraram cerca de uma hora e nenhum policial ficou ferido. Além disso, diversos integrantes do grupo também foram detidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.