Após distúrbios, cadeias enfrentam superlotação na Grã-Bretanha

Número de detentos se aproxima dos 90 mil, causando situação sem precedentes no país

BBC

19 de agosto de 2011 | 14h33

Prefeito londrino, Boris Johnson (e), conversa com policiais sobre suspeitos

 

LONDRES - A população carcerária britânica alcançou o número recorde de 86,6 mil pessoas após as prisões em massa nos tumultos de rua que aconteceram em diversas cidades inglesas na semana passada. A situação de superlotação sem precedentes fez com que sistema carcerário do país ficasse à beira de seu limite.

Nos últimos sete dias, cerca de 700 pessoas ingressaram sistema carcerário - muitas das quais foram consideradas culpadas por envolvimento nos quatro dias de tumultos de rua que atingiram as principais cidades britânicas.

Atualmente, há pouco mais de 1,2 mil vagas adicionais nas cadeias e outras 200 em centros provisórios que abrigam imigrantes ilegais prestes a serem deportados.

Autoridades do setor carcerário britânico disseram que poderá ser necessário adotar planos de contingência a fim de abrigar todos os presidiários do país.

Entre as propostas de emergência que estão sendo consideradas está a de abrigar três presidiários em celas originalmente designadas para conter uma só pessoa.

Por conta da superlotação, autoridades estão sob pressão para manter abertos dois presídios, o de Brockhill e o de Worcestershire, no sudeste de Londres, que estavam em vias de fechar.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.