Após duas vitórias, Romney é favorito na Carolina do Sul

Para analistas, mesmo que não vença no Estado, republicano pode garantir candidatura à Casa Branca graças à divisão no partido

DENISE CHRISPIM MARIN , ENVIADA ESPECIAL / CONCORD, EUA, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2012 | 03h02

Vencedor das duas primárias iniciais do Partido Republicano, em Iowa e New Hampshire, o moderado Mitt Romney começou ontem sua campanha na Carolina do Sul, um dos redutos do conservadorismo nos EUA e próxima etapa na corrida para ser o candidato do partido à presidência. No Estado, ele será cobrado por suas posições sobre o aborto e o casamento homossexual, além de sua atuação como executivo na iniciativa privada.

Para analistas, com a vantagem obtida até agora, Romney, ex-governador de Massachusetts, não precisa obrigatoriamente da vitória na primária do dia 21 para consolidar a nomeação. "Eu não acredito que seja necessário vencer na Carolina do Sul", afirmou Thomas Mann, analista do Brookings Institution. "Ele tem a vantagem de dividir a oposição conservadora, como John McCain fez em 2008. Um terço dos votos será suficiente."

Caso se torne o candidato do partido sem vencer na Carolina do Sul, Romney será o primeiro republicano, desde 1980, a conseguir a nomeação sem ter obtido uma vitória no Estado.

Romney ganhou na terça-feira a primária de New Hampshire, Estado pouco conservador para os padrões republicanos, com 39,3% dos votos. O deputado Ron Paul obteve 22,9%. O terceiro colocado foi o ex-embaixador dos EUA em Pequim Jon Huntsman, com 16,9%. O ultraconservador Rick Santorum e o ex-presidente da Câmara dos Representantes Newt Gingrich obtiveram 9,4%.

Na Carolina do Sul, o cenário é bastante diferente. Ali, a agricultura tradicional convive com segmentos industriais. Os negros -29,5% da população - ainda enfrentam dificuldades para serem aceitos entre os 67% de brancos. O desemprego é de 9,9%, acima da média nacional, e os evangélicos ultrarradicais dominam o ambiente e alimentam a moralidade conservadora.

Mesmo em um ambiente adverso para um moderado, Romney é favorito. A média das pesquisas eleitorais calculada pelo site Real Clear Politics o aponta com 31,3%, com boa vantagem para Santorum, simpatizante da organização conservadora católica Opus Dei, que tem 20,7%. Gingrich vem atrás, com 19,7%. Paul tem 10,7%.

Apesar de ter investido na Carolina do Sul, em detrimento de New Hampshire, na última semana, o governador do Texas, Rick Perry, tem apenas 5% das intenções de voto e, em caso de novo desastre eleitoral, ele deve abandonar a disputa. "Perry está morto, mas ainda não sabe", afirmou Mann.

Ainda de acordo com o analista, a vitória de Romney na Carolina do Sul dependerá da capacidade de convencer o eleitorado sobre seus valores conservadores e resistir aos ataques dos rivais. Gingrich tem investido pesado em anúncios que mostram Romney como um executivo antiético e destruidor de empregos.

Para o analista conservador Michael Barone, o grande adversário do ex-governador de Massachusetts no Estado deve ser Santorum. Romney é mórmon, razão pela qual é visto com reservas pelos cristãos americanos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.