Após enchentes, Colômbia declara estado de calamidade

Chuvas já deixaram 138 mortos no país; poucas regiões não foram afetadas pelas tempestades

Agência Estado

19 de novembro de 2010 | 11h40

Rua inundada em Bogotá. Santos disse nunca ter visto cidade nessa situação.

 

BOGOTÁ - As fortes chuvas que atingem a Colômbia já mataram 138 pessoas e provocaram grandes alagamentos. Com isso, o governo declarou na quinta-feira estado de calamidade pública em quase todo o país.

Falando em Itagüi, localizada 240 quilômetros a noroeste de Bogotá, o presidente Juan Manuel Santos disse que havia solicitado ao ministro do Interior, Germán Vargas, a declaração de calamidade pública em 28 dos 32 departamentos (Estados) do país. Com isso, explicou Santos, será facilitado o recebimento e a distribuição de ajuda às vítimas.

 

"Nunca havia visto Bogotá como nesses últimos dias. Mas não somente Bogotá, o país inteiro", disse Santos. Segundo o presidente, apenas regiões como Orinoquía e Amazônia, no sudeste do país, não foram afetadas pela temporada de chuvas.

 

De acordo com o escritório estatal de meteorologia da Colômbia, essa temporada se prolongará até junho de 2011, por causa do fenômeno La Niña. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbiainundaçõescalamidademortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.