Paul White/AP
Paul White/AP

Após encontro, Rajoy e Hollande defendem saída de Assad do poder

Presidente francês disse que é preciso haver um governo que represente a sociedade síria

Efe,

30 de agosto de 2012 | 11h57

MADRI - O chefe do governo espanhol, Mariano Rajoy, e o presidente francês, François Hollande, que se reuniram nesta quinta-feira, 30, em Madri, expressaram preocupação pelo grande número de mortos no conflito sírio e afirmaram que a situação no país árabe só será solucionada com a saída do poder de Bashar al Assad.

Veja também:

linkAssad responsabiliza Turquia por derramamento de sangue na Síria

linkAssad diz que precisa de tempo para vencer a guerra na Síria

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

A reunião entre os dois demorou cerca de duas horas e foi realizada na sede do governo espanhol, o Palácio de Moncloa. Em entrevista coletiva conjunta, Hollande acrescentou que é preciso convencer a Rússia e a China de que o fim do regime sírio não significaria um caos neste país.

O presidente francês opinou que após a saída de Assad é necessário formar um governo que represente toda a sociedade síria. Neste sentido, Rajoy disse que a oposição deve alcançar uma unidade após a derrubada do regime.

Os dois também se referiram à situação na região do Sahel, especialmente em Mali, e defenderam a importância deste país superar "a crise humanitária" e instaurar uma democracia após o golpe de estado de março.

O presidente francês ressaltou que a situação na região é "extremamente grave" e deixou claro que a comunidade internacional tem que ajudar o governo de Mali a reafirmar sua autoridade e a União Africana a realizar uma intervenção sob mandato da ONU.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.