Após 'enxofre' de Bush, Chávez sente aroma de esperança na ONU

O aroma da esperança substituiu o "enxofre" de George Bush na ONU, disse o presidente venezuelano Hugo Chávez nesta quinta-feira em seu primeiro discurso nas Nações Unidas desde que chamou o ex-mandatário norte-americano de "demônio".

REUTERS

24 de setembro de 2009 | 18h47

"O cheiro de enxofre se foi, agora cheiro esperança", disse Chávez, um crítico feroz de Washington, causando risos no plenário durante seu longo e eclético discurso, que abordou desde Albert Einstein até Karl Marx.

Juntamente com diversos líderes mundiais falando na Assembleia Geral da ONU, Chávez encorajou o presidente Barack Obama a alterar o rumo da política externa norte-americana na América Latina retirando o embargo contra Cuba.

Chávez, que recriminou Bush durante seu discurso à assembleia em 2006, disse que Obama é um homem inteligente e o convidou a se juntar ao "eixo do mal" --uma referência irônica aos países vistos por Bush como uma ameaça ao mundo.

Chávez também reiterou os pedidos aos líderes globais por um fim para a aguda crise política em Honduras.

Líderes das Américas e da Europa disseram que a democracia deve ser restaurada em Honduras depois do golpe militar que depôs o presidente Manuel Zelaya.

(Reportagem de Terry Wade e Claudia Parsons)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUCHAVEZ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.