Após escândalo sexual na Itália, Vaticano pede mais 'moralidade'

Berlusconi é acusado de se envolver com prostituição de menores

Estadão.com.br

20 de janeiro de 2011 | 16h12

ROMA - O secretário de Estado do Vaticano, o cardeal Tarcísio Bertone, admitiu nesta quinta-feira, 20, que a Santa Sé "segue com preocupação" o escândalo sexual que comoveu a Itália. Segundo informações da AFP, Bertone pediu aos dirigentes italianos mais moralidade.

 

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, é acusado de prostituição de menores. Ele teria se envolvido com uma marroquina conhecida como Ruby, que estava com 17 anos na época.

Tudo o que sabemos sobre:
BerlusconiVaticanoescândalo sexual

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.