Após explosões, pelo menos dez pessoas morrem no Iraque

Após explosões em diversos pontos de Bagdá, oito civis e dois soldados foram mortos além de dezenas de pessoas ficarem feridas. Os ataques foram realizados um dia depois da celebração xiita da Ashura. Dois carros estacionados explodiram simultaneamente em uma região predominantemente xiita em Bagdá.Um outro carro explodiu ainda nesta quarta-feira no bairro de Maamoun, ao leste de Bagdá, matando pelo menos duas pessoas e ferindo três civis, segundo fontes da polícia local. Pelo menos dois soldados iraquianos morreram ainda na quarta-feira e outros dez ficaram feridos, alguns em estado grave, em um atentado suicida em uma base militar em Miqdadiya, na província de Diyala, segundo o Escritório de Coordenação conjunta iraquiano-americano."O número de vítimas fatais como resultado do ataque poderia ser muito superior ao atual", afirmaram fontes do escritório.As fontes explicaram que um terrorista suicida explodiu um caminhão-cisterna cheio de gasolina perto de uma base militar em Maqdadiya, a nordeste de Bagdá. A base de Al Azi é o quartel principal da Quinta Divisão do Exército iraquiano.Maqdadiya está ao norte da província de Diyala, uma das mais violentas nos últimos meses e palco quase diariamente de atentados de grupos tanto xiitas como sunitas. Anúncio de mais mortesTrês soldados americanos morreram em combate na província de Al-Anbar, situada no oeste do Iraque, anunciou nesta quarta-feira o Exército dos Estados Unidos.Os três militares morreram na terça-feira como conseqüência de uma "ação hostil" nas operações militares realizadas na região, segundo um comunicado do comando militar americano, que não dá mais Detalhes.Com estas novas mortes, chega a 3.089 o número de soldados americanos mortos desde a invasão do Iraque, em 2003. A maioria das baixas ocorreu em Al-Anbar, província considerada reduto da insurgência sunita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.