Após farsa sobre balão, mãe faz serviço comunitário

A mãe do Colorado que, junto com seu marido, disse a autoridades norte-americanas que seu filho viajava a bordo de um balão experimental que havia se soltado acidentalmente deve começar a prestar serviço comunitário. Mayumi Heene passará 10 semanas trabalhando para cumprir sua pena, sem receber salário.

AE-AP, Agência Estado

08 de abril de 2010 | 14h12

O marido dela, Richard Heene, completou seus 90 dias de sentença no domingo. Ele também foi condenado à prisão, mas pediu para ficar em detenção domiciliar e fazer serviços comunitários.

Autoridades disseram que o casal informou, em 15 de outubro, que seu filho havia decolado acidentalmente de um balão. Richard Heene admitiu ser culpado por tentar enganar autoridades e sua mulher por fazer uma denúncia falsa. Eles puderam cumprir a pena em períodos separados, para que um deles pudesse ficar com os três filhos enquanto o outro era punido.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAbalãomeninomãepena

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.