Após golpe, Bainimarama nomeia ministros em Fiji

O primeiro-ministro de Fiji, o golpista Frank Bainimarama, que se autoproclamou no cargo na semana passada, nomeou nesta segunda-feira oito ministros de seu Governo.Todos os ministros, que juraram seus postos perante o presidente Josefa Iloilo, asseguraram que o objetivo do golpe é "fazer Fiji evoluir" e não suas próprias carreiras políticas, segundo o jornal local "Fiji Times" em sua versão para a internet.A nova administração contará com o antigo comandante militar e porta-voz do Parlamento, Epeli Nailatikau, como ministro de Exteriores, que disse que seu primeiro objetivo será restabelecer as relações com seus vizinhos australianos e neozelandeses, que condenaram o golpe de Estado e não reconhecem o Governo de Bainimarama.Nailatikau ressaltou, além disso, seu interesse em promover as relações diplomáticas com países asiáticos, especialmente Taiwan e China.Jona Senilagakali, que ocupou o cargo de primeiro-ministro transitório depois do levante de Bainimarama, em 5 de dezembro, foi nomeado como ministro da Saúde, enquanto o advogado Aiyaz Sayed-Khaiyum é o novo Procurador-geral e ministro da Justiça. Bainimarama restabeleceu na quinta-feira passada Iloilo como presidente para que este o elegesse como primeiro-ministro, legitimando assim o golpe de Estado militar. O porta-voz do Exército, Neuma Leweni, confirmou ao "Fiji Live" que o resto do ministros do Governo de Bainimarama jurarão seus cargos na terça-feira, mas não revelou seus nomes nem o número de titulares que formarão o novo gabinete transitório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.