Após golpe militar, país sepulta presidente

O povo da Guiné fez ontem as últimas homenagens ao presidente Lansana Conté, morto na segunda-feira após exercer o poder de forma autoritária durante quase um quarto de século. Embora aliados de Conté tivessem comparecido ao enterro, o capitão Moussa Camara - líder do grupo do Exército que tomou o poder num golpe de Estado horas após a morte do presidente - não foi à cerimônia, como tinha anunciado que faria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.