Yoan Valat / EFE
Yoan Valat / EFE

Após incêndio na Notre-Dame, EI comemora ‘golpe no coração dos cruzados’

Em setembro de 2016, a polícia francesa prendeu três mulheres e um homem envolvidos na apreensão de um carro carregados de galões de gasolina; o veículo estava estacionado nos arredores da catedral e deveria ter explodido

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2019 | 21h19

PARIS - O Estado Islâmico não se atreveu a assumir autoria da tragédia em Paris, como fez em muitas ocasiões, mesmo sem ter nenhum envolvimento. Os jihadistas, no entanto, comemoraram o incêndio na catedral de Notre-Dame. Segundo o Site, portal que monitora atividades extremistas na internet, simpatizantes do grupo “se divertiram” com a tragédia, classificada como “um golpe no coração dos líderes cruzados”.

A Notre-Dame já havia sido alvos dos jihadistas. Em setembro de 2016, a polícia francesa prendeu três mulheres e um homem envolvidos na apreensão de um carro carregados de galões de gasolina. O veículo estava estacionado nos arredores da catedral e deveria ter explodido. Ao longo dos anos, o EI tem encorajado seus seguidores na França a realizar atentados em locais públicos em retaliação ao envolvimento de tropas ocidentais em guerras no mundo islâmico, principalmente no Iraque e na Síria. / AP 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.