Após intimidação, Yoani recebe escolta policial

Em reação aos protestos dos quais a blogueira cubana e colunista do Estado Yoani Sánchez tem sido alvo desde que chegou ao Brasil, as Polícias Militar e Civil e a Guarda Municipal de Feira de Santana (BA) montaram ontem um esquema de proteção para a ativista, evitando que ela sofra eventuais agressões em meio às mobilizações de movimentos de esquerda.

GUILHERME RUSSO , ENVIADO ESPECIAL , FEIRA DE SANTANA (BA), O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2013 | 02h01

Yoani passou a contar, ainda, com dois seguranças que a acompanharão em suas aparições públicas até que ela deixe a Bahia, hoje. Na noite anterior, ela havia enfrentado um intenso protesto, que impediu a exibição do documentário Conexão Cuba-Honduras, no qual Yoani é uma das entrevistadas, num centro cultural da cidade. Impressionado com a manifestação, o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho (DEM), que esteve no local, pediu ao comando da PM o reforço policial.

A UJS promete organizar mais mobilizações de repúdio à presença de Yoani no Brasil. Entre elas, um "tuitaço" marcado para hoje, quando a blogueira deve ir para Brasília e São Paulo.

Yoani almoçou ontem em um restaurante típico de comida da Bahia, ao som de baiões tocados ao vivo por uma banda local. Tímida, a blogueira acabou cedendo a pedidos e subiu ao palco, onde arriscou alguns passos de forró.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.