Após massacre, Finlândia revê lei de armas

Com 1 arma para cada 3 habitantes, país mudará legislação que permite posse para jovens a partir de 15 anos

Reuters e Ap, O Estadao de S.Paulo

10 de novembro de 2007 | 00h00

Dois dias depois de um jovem de 18 anos matar oito pessoas em um escola na cidade de Tuusula, nos arredores de Helsinque, o governo da Finlândia decidiu ontem endurecer sua política para compra de armas. "O gabinete está pronto para concordar com uma proposta que prevê que menores de 18 anos só podem usar uma arma sob monitoramento de pais ou de adultos", Sanna Kangasharju, porta-voz do governo.Até então, a Finlândia resistia a planos da União Européia (UE) de limitar a posse de armas para maiores de 18 anos. Hoje, já a partir de 15 anos, os finlandeses têm direito de possuir e usar armas sozinhos. Foi assim que o estudante Pekka-Eric Auvinen, de 18 anos, obteve no mês passado uma licença para portar uma pistola calibre .22, usada para realizar o massacre de quarta-feira (ele morreu no hospital, após disparar contra a própria cabeça). Na Finlândia, onde a caça é um hobby comum, de cada 3 habitantes, um tem arma. É a terceira maior quantidade de armas per capita do mundo. Ontem os finlandeses pareciam não ter se recuperado totalmente do choque. Os 1.300 alunos de uma escola na cidade de Kirkkonummi, a cerca de 70 quilômetros de Tuusula, foram retirados do prédio depois que alguém postou na internet uma ameaça dizendo que o colégio seria próximo alvo de um ataque a tiros. Horas mais tarde, a polícia disse que as ameaças não passaram de "uma brincadeira de mau gosto". As autoridades finlandesas fizeram um pedido aos pais para que tentem evitar que os filhos propaguem esse tipo de ameaça por meio da internet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.