Após morte de irmão, Karzai pede paz com Taleban

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, renovou hoje seu pedido para que o Taleban faça a paz, mesmo após enterrar seu irmão assassinado em um atentado reivindicado pelo grupo. Bastante triste, Karzai liderou milhares de pessoas no funeral do irmão, Ahmad Wali Karzai, assassinado em sua casa na cidade de Kandahar, no sul do país. O autor do crime foi o chefe da segurança de Ahmad, que foi morto em seguida pelos outros guarda-costas.

AE, Agência Estado

13 de julho de 2011 | 10h17

"Mesmo se o Taleban diz que matou meu irmão, eu peço a eles, irmãos, venham fazer a paz", afirmou o presidente a uma multidão de líderes tribais e políticos, após o funeral. Segundo ele, o governo está determinado a fazer a paz. "Nada nos impedirá de levar a paz e a estabilidade a este país."

Karzai busca persuadir os grupos insurgentes a se reconciliarem, com o apoio internacional. O Taleban reivindicou a morte de Ahmad e afirmou que seu autor, Sardar Mohammad, tinha vínculos com o grupo. Porém alguns analistas demonstraram dúvidas de que o Taleban esteja por trás das ações de Mohammad, que havia anos era chefe de segurança do irmão do presidente.

Ahmed Wali Karzai era chefe do conselho da província de Kandahar e já havia sido acusado por corrupção e envolvimento com o narcotráfico. A morte dele, porém, tira da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e do governo de Cabul um aliado crucial no instável sul do país. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.