Após notícia, fãs fazem vigília em Camden Square

Garotas vestidas como Amy Winehouse cantaram a célebre faixa Back to Black em frente à casa da cantora, protegida pela polícia londrina

Daniela Milanese, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2011 | 00h00

Um ambiente de tristeza e incredulidade tomou conta na noite de ontem de Camden Square, para onde seguiram em estado de choque grupos de fãs de Amy Winehouse. Em frente a sua casa, o silêncio dos admiradores refletia a surpresa da morte. Um grupo fiel mantinha vigília, enquanto diversas pessoas chegavam para observar o movimento.

Não houve tumultos e a movimentação era tranquila. Por volta das dez da noite de ontem, cerca de cem fãs se reuniam no local. Levavam flores, velas e mensagens de despedida. Muitos se abraçavam e ouviam as músicas de Amy em seus fones. Diversas famílias passavam pelo lugar, trazendo crianças.

"É simplesmente surreal", disse o fisioterapeuta australiano Matthew Snype, de 30 anos, que viu Amy ao vivo num show em 2004, antes do megassucesso provocado pelo lançamento de Back to Black, em 2006. "Uma loucura receber hoje essa notícia, depois do choque com o atentado em Oslo."

O silêncio em Camden Square foi quebrado por volta das 19 horas (23h de Londres), quando duas fãs vestidas como a cantora embalaram com bom pulmão a letra de Back to Black. "Estou absolutamente devastada", afirmou uma delas, a estudante Abigail Liebovitz, de 16 anos, ao Estado. Sua amiga Faye Harris, também de 16 anos, se disse chocada com a perda de alguém tão jovem. "É muito estranho saber que ela se foi e simplesmente não estará mais aqui."

Um grupo de dez brasileiros residentes em Londres também prestou homenagem à cantora. O publicitário Alvaro Kassab Neto, de 24 anos, disse que estava triste e emocionado. "Viemos por curiosidade e também para participar do momento."

Ele contou que frequentava o pub The Hamley Arm"s todas as quintas-feiras, em Camden Town, na esperança de encontrar a cantora, mas nunca conseguiu - esse era o pub preferido de Amy, no bairro onde ficava sua casa. A frente do flat da cantora está bloqueada e protegida por cinco policiais. Os fãs se concentram ao redor e depositam flores e velas junto a uma das árvores da rua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.