Após pancadaria, Ucrânia aprova acordo com russos

Em meio a uma chuva de ovos, socos e bombas de fumaça, o Parlamento da Ucrânia aprovou ontem a extensão do acordo para a permanência de uma base naval russa no Mar Negro.

, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2010 | 00h00

Simpatizantes e adversários da medida entraram em confronto diante do Parlamento, enquanto deputados da coalizão do recém-eleito presidente, Viktor Yanukovich, aprovavam a prorrogação do uso russo da base até 2042. Em troca, a Rússia venderá gás à Ucrânia com desconto.

As bombas lançadas pela oposição encheram o plenário de fumaça e o presidente do Parlamento, Volodymyr Litvyn, protegeu-se dos ovos com um guarda-chuvas. Deputados da oposição estenderam bandeiras ucranianas sobre as mesas.

Nem as ovadas nem as bombas de fumaça dentro do Parlamento foram capazes de interromper os debates, durante os quais os deputados trocaram argumentos, insultos e, em várias ocasiões, socos e puxões de cabelo. Nacionalistas, liderados pela premiê Yulia Tymoshenko e pelo ex-presidente Viktor Yushchenko veem o acordo como uma "traição dos interesses do país" e queriam tirar os russos da base em 2017. No entanto, o governo argumenta que precisava da medida para reativar a economia ucraniana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.