Após 'pausa humanitária', Israel retoma ataques a Gaza

O exército de Israel retomou o bombardeio da Cidade de Gaza com artilharia, depois de uma "pausa humanitária" de três horas, causando a morte de três palestinos, de acordo com testemunhas. O ataque atingiu o bairro de Zeitun, na região leste da cidade, e as vítimas não foram identificadas. Segundo o Exército de Israel, dois foguetes disparados por militantes palestinos em Gaza atingiram uma área próxima à cidade de Beersheva, sem causar vítimas ou danos.Horas antes, sob forte pressão internacional, o governo israelense havia anunciado que faria uma "pausa humanitária" de três horas na ofensiva militar contra o território palestino de Gaza, iniciada há 12 dias, e que essa pausa poderia passar a acontecer uma vez a cada dois dias, das 13h às 16h locais (9h ao meio-dia em Brasília), para permitir a entrega de ajuda humanitária à população do território sob ataque. O Hamas (Movimento Islâmico de Resistência), que governa Gaza desde que foi eleito, em 2006, também fez uma pausa de três horas nos disparos de foguetes de fabricação caseira contra Israel.As mortes ocorridas depois da retomada da ofensiva militar israelense, assim como outras 24 que haviam acontecido nos ataques da manhã de hoje, elevaram o saldo da operação em Gaza a mais de 680 palestinos mortos e 3 mil feridos. Segundo o Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários da Organização das Nações Unidas (ONU), um terço dos mortos eram mulheres ou crianças. Israel contabiliza sete militares e três civis mortos desde o começo da campanha. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.