Após polêmica, diretor do <i>The Miami Herald</i> se aposenta

Tom Fiedler, diretor-executivo do jornalThe Miami Herald e que causou polêmica ao ser referir a exiladoscubanos como "pequenos chihuahuas", se aposentará no ano que vem,anunciou hoje a publicação. Fiedler, de 60 anos, será substituído no cargo por AndersGyllenhaal, vice-presidente e diretor do "The Minneapolis StarTribune", informou a versão eletrônica do jornal. David Landsberg, presidente da Miami Herald Media Co., disse quea contribuição de Fiedler se reflete em seu trabalho como repórter,colunista e editor ao longo de três décadas. Fiedler se retira após 33 anos de trabalho no jornal. Marcaram sua carreira a cobertura que fez da Casa Branca, seu trabalho durante a Guerra do Golfo e o prêmio Pulitzer que recebeu em 1991. Recentemente, o diretor se envolveu numa polêmica ao se referir aexilados cubanos como "chihuahuas" enquanto dois jornalistas e umacolaboradora independente do jornal El Nuevo Herald que tinhamcolaborado com a Rádio e a TV Martí - ambas transmitidas em Cuba -eram demitidos."Sou culpado de usar palavras que resultaram ofensivas devido auma metáfora mal escolhida que usei durante uma reunião do pessoalda redação", disse Fiedler num pedido público de desculpas. Sua aposentadoria é anunciada dois meses depois de Jesús Díaz,presidente e diretor-geral da The Miami Herald Media Corp., terrenunciado aos cargos pelas repercussões e críticas recebidas pelademissão dos jornalistas, que posteriormente foram reincorporados. No mês passado, o cartunista cubano do El Nuevo Herald JoséValera se entrincheirou no escritório do diretor desse jornal,Humbrto Castelló, para reivindicar sua renúncia, assim como ademissão de Fiedler, e para que fosse exposta "a verdade do exíliocubano no The Miami Herald".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.