Após protestos da oposição, Evo ameaça ''pôr ordem no país''

Um dia após a oposição ter organizado uma greve geral de 24 horas em cinco dos nove Departamentos bolivianos, o presidente da Bolívia, Evo Morales, fez um discurso advertindo que seu governo "tem a obrigação de por ordem no país". "Se alguns grupos não querem entender o sentimento do povo boliviano, certamente ficarão mais violentos. Aí, temos a obrigação de pôr ordem", disse o presidente. Em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que Evo deve tomar a iniciativa de construir um diálogo que leve à paz com a oposição e conclamou outros países vizinhos a ajudarem a desarmar as tensões na Bolívia. Lula comentou os resultados do referendo revogatório do dia 10, no qual o presidente boliviano foi ratificado no cargo com 60% dos votos. "(Evo) teve uma vitória extraordinária", disse o líder brasileiro. "Penso que agora ele deve construir um diálogo com outros setores".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.