Após protestos, governador de Luxor renuncia

O recém nomeado governador de Luxor, Adel al-Khayat, membro de um partido islâmico relacionado ao massacre de turistas no famoso templo egípcio, anunciou hoje sua renúncia após contestações quanto à sua ligação com o partido e seguindo-se à renúncia do ministro do Turismo. Em rede nacional de televisão, Al-Khayat afirmou ter decidido submeter sua renúncia ao primeiro-ministro, Hisham Qandil. Ele foi nomeado governador pelo presidente Mohammed Morsi.

EQUIPE AE, Agência Estado

23 de junho de 2013 | 12h17

Al-Khayat é membro do partido da Construção e Desenvolvimento, braço político do grupo militante islâmico Gamaa Islamiya, que assumiu a responsabilidade pelo massacre de 58 turistas em um ataque durante a visita no monumento em Luxor em 1997.

"Discuti o assunto com meus irmãos do partido da Construção e Desenvolvimento e concordamos que apresentaria minha renúncia como governador de Luxor porque não queremos derramamento de sangue", afirmou em uma nota.

Sua nomeação provocou a crítica de pessoas relacionadas ao turismo e ativistas em Luxor. Centenas de pessoas protestaram contra a escolha de Morsi. Fonte: Dow Jones Newswire e Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.