Após protestos, rei da Jordânia promete reformas

Cedendo a demandas populares por reformas, o rei da Jordânia, Abdullah II, afirmou neste domingo que o futuro gabinete de governo do país será formado de acordo com uma maioria parlamentar eleita. Há meses os jordanianos vêm exigindo o fim do poder absoluto do rei, o que inclui a nomeação de um primeiro-ministro e um gabinete.

AE, Agência Estado

12 de junho de 2011 | 15h01

Em discurso que marcou seu 12º ano no poder, o rei Abdullah também prometeu maiores mudanças constitucionais, embora não as tenha detalhado. Durante seis meses de protestos pedindo democracia, os jordanianos também pediram uma nova eleição parlamentar, diante de rumores de que a eleição realizada em novembro foi fraudada.

Abdullah prometeu outras reformas, mas alertou que mudanças bruscas podem levar a "tumultos e caos", como ocorreu em outros países árabes, segundo ele. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Jordâniareformas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.