EFE/Angelo Carconi
EFE/Angelo Carconi

Premiê da Itália diz que situação da UE é grave e que é preciso ‘se movimentar’

Matteo Renzi afirmou que italianos respeitam a decisão dos britânicos de sair do bloco europeu, e que é necessário pensar em uma nova estratégia após o Brexit

O Estado de S. Paulo

27 Junho 2016 | 08h44

ROMA - O primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, afirmou nesta segunda-feira, 27, que a situação da União Europeia (UE) após o referendo no Reino Unido "é grave" e disse que é preciso "se movimentar".

"Se a Europa ficar esperando um ano, perderemos os desafios sobre a prioridade de nosso tempo", disse Renzi, que foi ao Senado explicar sua posição antes da realização do Conselho Europeu.

Quanto à decisão dos britânicos de sair da UE, o primeiro-ministro da Itália afirmou que "é uma posição que respeitamos, o que os britânicos decidiram será respeitado por nossa parte".

Renzi também afirmou que a próxima cúpula da UE "não deve ser a última a se ocupar desse tema".

Sobre essa reunião, o primeiro-ministro da Itália garantiu que "terá que se concentrar não só na saída da Grã-Bretanha, mas também no relançamento da UE, em como desenhar uma estratégia".

"O que ocorreu no Reino Unido pode ser a melhor oportunidade para a Europa", estimou Renzi. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.