Após renúncia, Shinzo Abe continua hospitalizado

Premiê japonês deve receber alta apenas no final de semana; internação seria causada por estresse

Efe,

17 de setembro de 2007 | 10h26

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, permanecerá hospitalizado ainda mais uma semana, já que não houve melhora em seu quadro de saúde, segundo informou a agência de notícias Kyodo.   Abe foi hospitalizado um dia após anunciar a sua renúncia, na quinta-feira passada, por conta de problemas estomacais causados por estresse, de acordo com boletim médico. Em um primeiro momento, os médicos avaliaram que seria suficiente um período de entre três e quatro dias. No entanto, o primeiro-ministro só deve receber alta no final desta semana, por isso não poderá retomar sua agenda oficial na terça-feira, como estava previsto a princípio. Abe não fez menção expressa a sua doença durante o anúncio de sua renúncia, mas seu médico pessoal, Norifumi Hibi, disse no dia em que o premiê foi hospitalizado que o ex-primeiro-ministro estava há um mês doente e tinha perdido cinco quilos. O ex-premiê japonês anunciou sua renúncia na quarta-feira passada, após menos de um ano no cargo, devido à falta de confiança do povo japonês em sua gestão. Abe foi eleito em 26 de setembro de 2006 como primeiro-ministro em substituição a Junichiro Koizumi e,desde o primeiro momento, seu mandato foi envolvido em erros, casos de corrupção de seus ministros e pouca popularidade, atribuída em parte a sua falta de liderança.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoShinzo Abe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.