Após resolução da ONU, Líbia decreta cessar-fogo

O governo da Líbia anunciou hoje um cessar-fogo imediato no país, após semanas de confrontos entre forças do governo e rebeldes que exigem a deposição do governante Muamar Kadafi. O anúncio foi feito pelo ministro das Relações Exteriores, Musa Kusa. Ontem, o Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou resolução permitindo uma ação militar internacional para proteger civis no país do norte africano. Kusa disse que o país iria "responder positivamente" à resolução e interromper suas operações militares.

AE, Agência Estado

18 de março de 2011 | 10h08

Apesar disso, o chanceler expressou sua "tristeza" com aspectos da resolução, que, segundo ele, prejudicam bastante a Líbia e são uma violação da soberania nacional do país. Anteriormente, o governo líbio havia prometido decretar um cessar-fogo no domingo, apenas para que os rebeldes entregassem suas armas. Os que não obedecessem seriam novamente atacados, havia afirmado o governo.

Inspirado pelos casos de Tunísia e Egito, que resultaram na deposição dos presidentes desses países, o levante na Líbia começou no dia 15 de fevereiro, com protestos contra o governante Muamar Kadafi. As forças oficiais, porém, vinham retomando várias posições dos rebeldes nos últimos dias e ameaçavam, antes do cessar-fogo, lançar um violento ataque contra Benghazi, principal cidade controlada pelos rebeldes. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.