EFE/EPA/OLIVIER DOULIERY / POOL
EFE/EPA/OLIVIER DOULIERY / POOL

Após resultado positivo de Trump, Biden realizará teste de covid-19

Trum e Biden estiveram juntos ainda esta semana, quando participaram do primeiro debate eleitoral da corrida presidencial dos Estados Unidos

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2020 | 09h31

O candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, deve realizar um teste para a covid-19 na manhã desta sexta-feira, 2. A medida ocorre após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que  disputa a reeleição, ter sido diagnosticado com o novo coronavírus. A informação foi divulgada pela CNN americana, que ouviu uma fonte familiarizada com a agenda do democrata. 

Trump anunciou por volta da 1h da manhã desta sexta que está com covid-19, e deu início à quarentena na madrugada de hoje. A notícia causa uma reviravolta na corrida eleitoral americana, e os efeitos do diagnóstico, que é feito a 32 dias do pleito, ainda são incertos. 

Trum e Biden estiveram juntos ainda esta semana, quando participaram do primeiro debate eleitoral da corrida presidencial. Os candidatos não deram apertos de mão, nem entre si, nem com o moderador. Nem Trump nem Biden, porém, usaram máscara enquanto estiveram dentro do estúdio. 

A pandemia foi um dos temas que pautou as discussões. Na ocasião,  Trump trouxe à tona a perspectiva econômica e acusou Biden de querer "paralisar" novamente o país como medida de contenção do coronavírus. "Fechamos a economia e estamos reabrindo e estamos fazendo negócios de forma recorde. Ele vai paralisar de novo, ele vai destruir esse país", afirmou.

Já Biden atacou a gestão do presidente durante a pandemia de coronavírus, uma das principais plataformas de campanha do democrata e um calcanhar de aquiles na campanha republicana, pois a maioria dos eleitores reprova a resposta de Trump à crise de saúde. "Ele sabia desde fevereiro quão sério isso era, sabia que era mortal. O que ele fez? Ele disse que não queria criar pânico. Ele entrou em pânico", disse Biden. "Quantos de vocês acordaram essa manhã e tiveram uma cadeira vazia na mesa da cozinha de alguém que morreu de covid?", questionou o democrata.

Agora, além de dar maior destaque ao tema durante a campanha, a infecção de Trump por covid-19 também coloca em xeque a realização dos próximos dois debates com o democrata Joe Biden. O próximo encontro entre os dois candidatos está agendado para o dia 15 de outubro. A imprensa americana já discute também o que acontecerá em um cenário mais grave, caso Trump sofra com complicações da doença e esteja com a saúde ameaçada no dia da eleição, em 3 de novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.