Toby Melville/Pool/Reuters
Toby Melville/Pool/Reuters

Após revelações da filha, pai de Meghan Markle diz não crer que família real britânica seja racista

Thomas Markle deu entrevista à rede britânica ITV afirmando que caso pode ter se tratado de 'uma pergunta imbecil'

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de março de 2021 | 06h51

LONDRES - O pai de Meghan Markle, Thomas Markle, afirmou nesta terça-feira, 9, que não acredita que a família real britânica seja racista. Em entrevista na televisão britânica, Thomas disse crer que o caso mencionado pela filha durante a entrevista a Oprah Winfrey - em que um membro da realeza teria expressado preocupação com a cor da pele do filho de Meghan com o príncipe Harry - tenha sido apenas uma "pergunta idiota".

Meghan revelou a Oprah, durante entrevista televisionada no domingo, 7, que seu filho Archie teve o título de príncipe negado porque havia preocupações dentro da família real sobre "como sua pele poderia ficar escura quando ele nascesse". O príncipe Harry esclareceu, no entanto, que nem a rainha Elizabeth II nem seu marido, o príncipe Philip, participaram nas conversas em que o episódio de racismo teria ocorrido.

"Tenho grande respeito pela realeza e não acho que a família real britânica seja racista. Não acho que os britânicos sejam racistas, acho que Los Angeles é racista, a Califórnia é racista, mas não acho que os britânicos sejam", disse Thomas Markle à ITV.

"A questão sobre qual será a cor do bebê ou quão escuro ele será. Estou supondo e esperando que seja apenas uma pergunta idiota de alguém. Você sabe, poderia ser algo simples assim. Pode ser que alguém fez uma pergunta estúpida. Em vez de ser um racista total", completou.

Thomas Markle disse, porém, que o comentário deve ser investigado./ REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.