Após sanções dos EUA e UE, Rússia anuncia manobras militares

Mais de 100 aviões e helicópteros serão empregados nas manobras de segunda a sexta-feira nos distritos central e oeste da Rússia

O Estado de S. Paulo

04 de agosto de 2014 | 07h29

MOSCOU - A Rússia anunciou a realização de novos exercícios militares envolvendo aviões bombardeiros e caças, nesta segunda-feira. As manobras ocorrerão após uma rodada de sanções econômicas da União Europeia e dos Estados Unidos contra a Rússia.

Segundo a agência de notícias Interfax, um porta-voz da força aérea disse que mais de 100 aviões e helicópteros serão empregados nas manobras de segunda a sexta-feira nos distritos central e oeste da Rússia.

O porta-voz Igor Klimov disse que os exercícios são os primeiros em uma série de atividades para melhorar a coordenação militar e não fez qualquer menção à Ucrânia, onde rebeldes pró-Rússia enfrentam as forças do governo.

O exercício deve provocar preocupação entre as potências ocidentais, que acusam a Rússia de aumentar o número de tropas ao longo da fronteira com a Ucrânia e de armar os rebeldes no leste da Ucrânia. Moscou nega fornecer armas aos rebeldes.

Klimov disse que aviões como os caças Su-27 e MiG-31, a nova frota de bombardeiros Su-34, e helicópteros Mi-8, Mi-24 e Mi-28N serão utilizados no exercício. O Ministério da Defesa da Rússia não pôde ser contactado de imediato para comentar.

A relação entre a Ucrânia e o governo russo se agravaram desde a queda do avião da Malaysia Airlines, quando a Rússia passou a ser acusada de dar apoio aos separatistas que teriam derrubado ao avião. A UE e os EUA reagiram ao agravamento pressionando Moscou contra o auxílio aos separatistas pró-Rússia, que dominam regiões do leste da Ucrânia. / AP e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.