Após separação, uma das irmãs siamesas morre em Cingapura

Ladan Bijani, uma das irmãs siamesas iranianas, morreu na manhã desta terça-feira minutos depois de ter sido separada de sua irmã pela equipe de neurocirurgiões, informou um porta-voz do hospital Raffles, na Cingapura. Segundo o doutor Prem Kumar, as duas irmãs, de 29 anos, que estavam unidas pela cabeça, perderam muito sangue durante a operação. ?Os médicos não conseguiram estabilizar Ladan, que não resistiu?. O estado de sua irmã, Laleh, é grave. O último obstáculo que impedia separar as siamesas foi superado na segunda-feira, quando uma equipe internacional de cinco neurocirurgiões conseguiu separar uma veia tão fina quanto um dedo entre os cérebros das gêmeas Ladan e Laleh Bijani. Uma equipe internacional de 28 médicos e cerca de 100 assistentes trabalham na operação, que custará US$ 288 mil e será custeada pelo hospital Raffles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.