Após ser demitido, ministro ucraniano volta ao poder

O Parlamento da Ucrânia demitiu hoje o ministro do Interior, Yury Lutsenko, um poderoso aliado da primeira-ministra Yulia Tymoshenko. A decisão do Legislativo foi tomada apenas dez dias antes do segundo turno das eleições presidenciais, no qual Yulia é uma das concorrentes. A iniciativa de demitir Lutsenko foi de uma bancada parlamentar leal ao rival da primeira-ministra na votação do dia 7 de fevereiro, Viktor Yanukovych.

AE-AP, Agencia Estado

28 de janeiro de 2010 | 13h32

Yulia reagiu, apontando Lutsenko para o posto de vice-ministro, na prática neutralizando a medida do Parlamento. Os legisladores não têm o poder para demitir vice-ministros. O controle sobre a polícia pode se mostrar decisivo, caso haja distúrbios após as eleições.

Em 2004, após eleições consideradas posteriormente fraudulentas, a polícia permitiu a chamada Revolução Laranja - um grande protesto pacífico em uma praça central de Kiev. Os manifestantes forçaram as autoridades a cancelar os resultados eleitorais, abrindo caminho para uma nova eleição vencida por Viktor Yushchenko, que agora deixa o poder. Em comentários na televisão, Lutsenko disse que foi retirado inicialmente do cargo de ministro pelos parlamentares, pois haveria a intenção dos oposicionistas de fraudar as eleições.

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrâniademissãopoder

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.