Após suspeita de bomba, avião é proibido de pousar na China

Aeronave não recebeu permissão de aterrissagem em Xinjiang por problemas na documentação

REUTERS,

09 de agosto de 2009 | 13h42

Autoridades chinesas proibiram neste domingo, 9, uma aeronave de origem afegã de aterrissar na cidade de Urumqi, capital de Xinjiang. O avião acabou retornando ao Afeganistão, onde já pousou. As primeiras informações, divulgadas pela agência Xinhua, reportavam o sequestro da aeronave e, posteriormente, uma ameaça de bomba em seu interior. Entretanto, segundo um oficial de tráfego aéreo em Kabul e uma fonte da polícia do aeroporto em Kandahar, essas ameaças não existiram e a proibição do pouso ocorreu devido a problemas na documentação do avião.

 

As autoridades chinesas, que chegaram a mobilizar policiais e bombeiros no aeroporto em Urumqi, decidiram não dar a permissão de pouso.

 

A região de Xinjiang presenciou os piores confrontos étnicos na China em décadas no mês passado, quando conflitos na capital Urumqi provocaram a morte de 197 pessoas e feriram mais de 1 700, de acordo com números oficiais. O governo disse que a violência foi um trabalho de terroristas, separatistas e forças estrangeiras como parte de uma trama para desestabilizar a China.

Tudo o que sabemos sobre:
China

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.